E você, o que está fazendo com sua vida?




  
Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.










Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo pra quem não conhece.










 Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário. Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.










 Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos. 








Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.










 Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar. 









Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população. 







Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe. Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar. 


A Morte Devagar - Martha Medeiros 




Ontem recebi um selo do Steve, do blog Mentes Medíocres Pensam Igual e fiquei entusiasmadamente feliz! Muito Obrigado! (:
O selo é este: 


Haviam algumas perguntinhas para serem respondidas, mas por falta de tempo, vamos a parte mais interessante.
Eis a lista de blogs aos quais dedico este selo:



 BOA SORTE A TODOS! <3

21 Observações:

Geni Laís 20 de janeiro de 2011 14:12  

morre lentamente quem planeja todos os passos. arriscar é viver!

Felipe 20 de janeiro de 2011 14:34  

me identifiquei muito com esse poema, tem muita coisa desse poema que eu faço...por exemplo, eu sou um escravo do habito...e eu ficava me lamentando sempre dos meus dias e tudo mas... mas isso é passado....mas uma coisa que eu nunca fiz foi evitar uma paixão, eu sempre vivi intensamente o meu amor , né??
gostei do post em \o\
te adoroooooo <3

Roseane 20 de janeiro de 2011 15:40  

Adorei seu texto. Realmente, a liberdade é o que mais importa nas nossas vidas. E ela não é obtida pela televisão, de forma alguma.

Uma das coisas que mais quero é me permitir, viajar, conhecer novas coisas, pessoas e lugares. Há um longo caminho a percorrer antes disso, pois preciso me formar e me sustentar sozinha. Mas o que me anima é essa perspectiva, de conseguir realizar meus sonhos.

Ah, muito obrigada pelo selo! Vai para a minha galeria amanhã!

Abraços!

Lucas Adonai 20 de janeiro de 2011 17:25  

Quem arrista não petisca! kkk

Nando! 20 de janeiro de 2011 17:31  

Concordo com o Geni...
arriscar é viver!

Mto bom o blog!

Francorebel 20 de janeiro de 2011 19:03  

Agradecido.




Você é uma das poucas loucas que curtem o meu Blog. Também curto o seu, é supercriativo.

E esse post traz também umas mensagens muito bacanas, valeu!

Bj!

F.

Hugo Green 20 de janeiro de 2011 19:05  

Estamos morrendo desde que nascemos, concordo que um governo omisso pode matar lentamente uma parcela da população acredito em quase tudo citado pela Martha mas o destino eu acredito que nós mesmos fazemos o nosso próprio destino não acredito que minha vida esteja planejada desde que eu nasci fiz até um post sobre esse assunto... Enfim A Martha medeiros acertou em cheio quando falou que a televisão suga a gente. Em dias de tédio assisto uma temporada inteira ne um dia só, e hoje eu tive um dia desses como hoje aproveitei o dia para ser consumido pelo seriado The Big Bang Theory e acabei não entrando no meu blog hoje e nem cuidado da minha vida emocional.

Um ótimo post gostei bastante!!

Obrigado pelo selo eu gostei bastante, é o segundo selo que eu ganho nesse poucos meses de vida Blogueira Obrigado mesmo!

Abraço.

Hugo Green 20 de janeiro de 2011 19:08  

Sobre o assunto de televisão consumir a vida de pessoas que acabam entrando em alienação me deu uma idéia para criar um post sobre esse assunto eu vou pesquisar um pouco mais para criar um texto de fácil entendimento e breve.

Abraço.

William 20 de janeiro de 2011 23:03  

Bom dia Indianara,
Parabéns pelo texto. A televisão aberta está emburrecendo as pessoas. É preciso realmente se permitir e buscar a felicidade. É o que anda faltando e muito nesse planeta.
Seu blog merece os selos, pois é um espaço agradável e tem credibilidade. Fico grato por indicar o meu também, e mais agradecido ainda pelas palavras lá no blog.
Uma ótima sexta feira pra ti.

Victória Andressa 21 de janeiro de 2011 05:15  

Eu adoro esse texto de Martha Medeiros. Acho um "acorda" para nós, um "não faça isso". Adoro quando textos nos dão o que pensar, sobre o que refletir, que nos analisemos um pouco mais, cavemos mais fundo. Achei a escolha das imagens interessantíssimas, dando um toque seu. Belíssimas e caíram como uma luva.
Adorei o blog aqui, de verdade, e estou seguindo.

Se quiser visitar o meu:http://nexosereflexos.blogspot.com/
estarei esperando

laryssa 21 de janeiro de 2011 05:50  

adorei a mensagem, tava precisando vÊ algo do tipo, com a mente tão cheia de problemas e confusões, me deixando levar por pequenas coisas =\

morre lentamente quem não ama a vida, a si mesmo, aos outros ;P
kiss kiss

Franzúncil 21 de janeiro de 2011 06:03  

Impressionante esse poema!
Vou passar a visitá-la mais vezes aqui no seu blog. Eu crio que experiências como essa: Ler poema, livros diferentes, até mesmo uma frase, nos ajuda a acordar quando estamos dando um "cochilo", ou na maioria das pessoa "dormindo".
Isso é ótimo. Parabéns!

Sandro Honorato 21 de janeiro de 2011 06:54  

Morre lentamente que deixa oportunidades passarem,porque tiveram medo de tentar.
Belo post.
Amei.
Se puder visitar,agradeço.
RIMAS DO PRETO

Beijos

Gustavo Brito 21 de janeiro de 2011 07:04  

- muito obrigado, Indianara. fico muito contente com a sua dedicatória.
seja sempre bem-vinda ao capheina.

grande abraço.

Gustavo 21 de janeiro de 2011 15:51  

*__* adoro seus posts!!

Concordo com o a maioria diz, devemos nos arriscar!

bjauuum

. 21 de janeiro de 2011 17:05  
Este comentário foi removido pelo autor.
. 21 de janeiro de 2011 17:06  

Parabéns pelo o selo, realmente trata-se de um blog merecedor. E agradeço a indicação ao meu humilde blog. São por pessoas como você que me fazem ainda ter um gosto pela escrita, mesmo quando tudo parece tão sem gosto. Obrigado.

E sobre o teu post da vez, o declaro como leitura essencial. Não só o post, o blog todo.

Kyanne Carvalho 21 de janeiro de 2011 17:30  

parabéns pelo blog, adorei o post :)

Aécia Leal- Soltando o verbo 24 de janeiro de 2011 04:07  

Parabéns! O blog como um todo é muito bom! Extremo bom gosto! Com certeza vai estar na minha lista de favoritos!

Em relação à esta postagem, eu assim defino: sublime!

L'amore in Parole 25 de janeiro de 2011 10:55  

"Morre lentamente quem evita uma paixão".
Indianara, estou AMANDO seu blog e suas postagens. É tudo tão lindo, caprichado, organizado e feito com muito carinho e amor. Este é um dos poucos blogs em que me sinto "em casa". Parabens pelo seu maravilhoso trabalho.
E obrigada pelos comentários no Blog.

Neide Gautama 25 de janeiro de 2011 13:24  

Martha Medeiros, boto fé e admiro d+ da conta !!

ow linda brigada pelo selinho, eu fico muitissímo feliz ( e me axando) quando ganho selinho, to com um montao aqui q ainda nem organizei rsrsrs

beijoooos;**

Postar um comentário

"A palavra foi dada ao homem para explicar os seus pensamentos, e assim como os pensamentos são os retratos das coisas, da mesma forma as nossas palavras são retratos dos nossos pensamentos."
Jean Molière.

Estarei retribuindo seu comentário.

Um pouquinho sobre mim.

Minha foto
Campina Grande, Paraíba, Brazil
Meu nome é indígena e significa Deusa das Águas Claras. Tenho 21 anos e sou Estudante de Psicologia da UFCG e divido moradia com mais dois estudantes. Adoro animaizinhos,principalmente gatinhos! Sou muito introspectiva e pensativa, talvez por isso a idéia de montar um blog já que a escrita me satisfaz. Gosto de coisas estranhas, músicas estranhas,misticismo, filmes do Tim Burton e chocolate crocante. Adoro aprender, sou curiosa ao extremo e adoro discutir sobre assuntos interessantes. Gosto muito de ler (gosto que foi alimentado por um grande amigo), caso contrário, nem faria Psicologia! Adoro observar a água,porém, ainda não descobri o porquê.

Sobre o Projetando Rascunhos

Blog destinado à minha vontade de postar qualquer coisa que faça sentido para mim. Qualquer coisa mesmo! Até chocolate, quem sabe!
;*

Eles me seguem, me siga também